Tontura: o que é? Como tratar?

Tontura

Sabe aquela sensação de estar tudo girando ao seu redor com leve instabilidade e em alguns casos acompanhada até de visão borrada e vômitos. Sim estamos falando de um dos sintomas que mais afeta a população, a tontura!

Esse sintoma afeta diretamente o equilíbrio corporal é mais comum no dia a dia das pessoas do que se imagina, além disso muitas vezes pode ser indicador de uma doença ou problema no ouvido interno. Por isso todo sinal de tontura leve, moderada ou intensa requer atenção e cuidados específicos. Fique atento aos sinais e cuide -se.

Alguns aspectos que podem ocasionar o sintoma de tontura são:

Diabetes

Diabetes tipo 1 e, raramente, de tipo 2, casos de hipoglicemia, e a tontura é um dos seus sintomas.

Doença de Ménière.

Essa doença crônica é causada pelo aumento da pressão da endolinfa; um líquido que fica no labirinto (ouvido). Com este aumento, as células do ouvido responsáveis pelo equilíbrio são afetadas, podendo desencadear em labirintite, que por sua vez causa o desequilíbrio e a tontura.

Pressão baixa.

A famosa pressão baixa acontece quando não há quantidade significativa de sangue fluindo no cérebro. Sendo assim o corpo humano responde com alguns sinais incômodos, ou seja, tontura, visão alterada e desmaio.

Anemia.

A anemia acontece principalmente pela deficiência na produção de células hemácias, pela falta de oxigênio ou nutrientes no corpo. O componente principal desencadeador da famosa tontura nesse caso, é a falta de ferro no corpo humano.

Problemas no coração.

Arritmia cardíaca, doenças das válvulas cardíacas e coração grande são doenças que podem causar tontura.

Labirintite.

A labirintite é uma doença que afeta o labirinto (ouvido), sendo suas estruturas responsáveis pela audição e pelo equilíbrio. Posteriormente ela causa tontura, vertigem e sensação de desmaio.

Vertigem

Lembra da sensação de tudo estar girando a seu redor? Pois é, a famosa vertigem.  Como é comum nesses casos, ela pode vir acompanhada de náuseas, vômitos e palidez. Mas calma tudo se resolve com um bom acompanhamento médico!

Desequilíbrio

O então desequilíbrio abordado de forma frequente “caminha de mãos dadas” a tontura.  Por motivos de condição física geralmente afeta mais os idosos, mas alto lá isso não é uma” verdade absoluta” que prive os demais públicos de buscarem ajuda médica. Em alguns casos, onde o sintoma de tontura tem sido frequente, vale uma atenção diferenciada.

Por exemplo:

– Em casos de doenças neurológicas

-Se você bateu a região da cabeça;

– Se você anda extrapolando no uso de álcool ou drogas, deve se atentar aos sinais;

-E por fim, mas nunca menos importante; se você usa algum medicamento de forma frequente e percebeu a presença desses sinais.

Em caso de tontura repentina. Separamos algumas dicas para te ajudar a aliviar o sintoma.

De forma alguma fique perto de janela, lugares altos, perto de objetos cortante ou afins. Vale ressaltar que em alguns casos o indivíduo perde o controle dos seus sentidos o que pode provocar um problema ainda maior.

Se seu caso de tontura for leviano e se você estiver perto de um assento ou até mesmo tiver espaço para se deitar, assim o faça! Deite-se no chão, ou sente-se um banco abaixando a cabeça, feche os olhos e vamos trabalhar a respiração! Inspire e Expire até sentir que está no “controle” novamente.

Se persistirem os sintomas…

Parece clichê, mas não deixa de ser uma verdade. Se persistirem os sintomas procure um médico ou especialista.   Além disso descanse , em alguns casos é necessário que o  indivíduo use algum medicamento ou trate com exercícios de reabilitação labiríntica, claramente que sobre supervisão médica.

Cuidado!

Se você tem o costume de usar tabaco ou nicotina, saiba que eles também podem ocasionar ou piorar a tontura.

Medicamentos e tontura

Existe uma série de remédios que podem influenciar na tontura, vertigem e, posteriormente, no desequilíbrio corporal.

Alguns deles são:

-Relaxantes musculares;

-Anti-Inflamatórios;

-Antibióticos, antifúngicos e antivirais;

-Remédios para diabetes;

-Remédios para asma;

-Antiespasmódicos;

-Remédios para combater vermes e parasitas;

-Remédios para colesterol e triglicerídeos;

Remédios caseiros são bem-vindos no alívio dessa sensação. Porém nada de exageros. Manter uma alimentação educada e equilibrada também faz toda a diferença na prevenção

Água: É você pode só estar precisando se hidratar. O ouvido interno, por exemplo, é um órgão que para se sintonizar corretamente com o cérebro, precisa de líquido para enviar os fluidos ao sistema nervoso, ou seja, beba água!

Banana: Potássio auxilia na distribuição de água no organismo;

Mel: se o problema for decorrente do cansaço, o mel ajuda dando mais energia para o seu corpo, aliviando a sensação de tontura.

 

Diagnóstico

Isso vai depender do histórico médico e psicológico da pessoa!

Alguns dos exames para diagnosticar:

Posturografia: avalia o equilíbrio junto às percepções visuais, somatossensoriais (condição que nos faz sentir a temperatura, tato, posição do corpo e dor) e vestibulares (audição junta ao equilíbrio corporal).

Eletronistagmografia: esse procedimento é feito para avaliar indiretamente a função vestibular, referente ao equilíbrio corporal, através dos movimentos oculares.

Tratamento

Depende de cada caso. O médico irá analisar se é necessária a remoção da causa, ou se apenas deve ser feito o seu controle.

Podem ser feitos alguns exercícios para reabilitar o equilíbrio corporal, utilizando movimentos de cabeça, pescoço e olhos e combinando-os à marcha (andar). Tudo depende da situação do paciente, podendo começar o tratamento deitado, depois sentado, em pé e, por último, andando. Veja alguns exemplos:

-Focalizar o dedo, afastá-lo e aproximá-lo;

-Movimentar os olhos para cima e para baixo;

-Atravessar o local com os olhos abertos e com os olhos fechados;

-Jogar uma bola de uma mão para a outra, acima do nível dos olhos;

Medos e crises nervosas podem acarretar a tontura também. Lembre-se que nunca se deve fazer automedicamento.

A Tontura por ser em grande parte dos casos passageira, é descartada no quesito atenção. Porém como lemos anteriormente focar nos sinais pode prevenir doenças mais graves! Seu médico é seu melhor amigo nesse caso, procure um especialista e “desabafe” sobre o que tem sentido. Sua saúde tem que ser sua prioridade e profissionais qualificados devem ser selecionados para execução dos procedimentos adequados.  Se cuide e fique bem!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*